domingo, 9 de Setembro de 2007




CIDADES GÉMEAS




Luanda e Houston são cidades gémeas desde 11 de Setembro de 2003.
A capital Angolana é a primeira cidade em África e a 16º. no Mundo a assinar um Acordo deste género com Houston.
Para melhor projecção e suporte dos projectos das duas cidades geminadas, foram criadas as Associações “Luanda-Houston e Houston-Luanda, dois organismos constituídos por empresas, instituições e voluntários, cujo objectivo fundamental é promover acções de cooperação, proceder a trocas de experiências, bem como coordenar e implementar projectos de interesse mútuo.
O Consulado Geral De Angola Em Houston Fica no edificio 3040 Post Oak Blvd, Suite 780, Houston, Texas 77056 - Sito na area da Galleria Entre as Avenidas Westheimer e Richmond. Tel. 713-212-3840 Fax: 7132123841

Banco Comercial de Angola


sábado, 8 de Setembro de 2007

ALGUMA HISTÓRIA

Angola fazia parte do Reino do Congo quando os primeiros portugueses chegaram em 1480.

O rei do Congo converteu-se ao critianismo junto com a população bankongonesa.

Rumores sobre grandes minas de prata e o crescimento do comércio escravo contribuiram para a expansão do domínio português para o interior do país.

Em 1575, Paulo Dias de Novais fundou a cidade de Luanda (capital atual). As conquistas portuguesas duram até 1680. As minas de prata não foram encontradas. Durante o século XVII franceses, ingleses e holandeses interviam diretamente no comércio da região desrespeitando o monopólio comercial português.
O comércio de escravos dominou a economia angolana apesar da exportação de cera, marfim e cobre. A demanda de mão de obra para o plantio da cana de açúcar nas colônias portuguesas como São Tomé e Príncipe, e Brasil era tão grande que os portos de Angola e do Congo acabaram sendo responsáveis por um terço da exportação de escravos africanos para a América e ilhas do Atlântico. Como o país não era densamente povoado, a procura por escravos expandiu-se até o centro da África no século XVIII.
O comércio escravo foi proibido em Angola em 1836, mas realmente decaiu a partir da primeira metade da década de 1850, quando o Brasil fechou seu mercado para importação de escravos. A escravidão foi oficialmente abolida no Império Português em 1875, mas continuou de forma disfarçada até 1911.
Os angolanos voltaram-se para a exportação de produtos como marfim, cera e látex. Vários produtos eram cultivados como café, açúcar, sisal, milho e algodão, além da extração de diamantes. A economia angolana foi modernizada e atrelada à de Portugal pela da adoção de um sistema de tarifas protecionista. As fronteiras de Angola foram negociadas com outros países europeus em 1891.

Os portugueses construíram importantes estradas e ferrovias durante os séculos XIX e XX.
Após a independência do Congo Belga (atual Congo) em 1960, uma grande revolta surgiu no norte do de Angola em 1961; seguida por uma longa guerrilha. Para conter a revolta, Portugal enviou um grande contingente de tropas e incentivou a imigração de camponeses portugueses. O país passou por um grande crescimento econômico marcado por uma rápida industrialização e produção de petróleo, melhorando a qualidade de vida da população.
Portugal se retirou de Angola em 1975, após a queda da ditadura em Portugal em abril de 1974. O MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola) tomou o controle das principais cidades do país e em 1976 e estabeleceu o sistema unipartidário baseado no modelo do leste europeu. O MPLA tornou-se oficialmente um partido marxista-leninista em 1977 estreitando relações com a União Soviética e Cuba.

A economia do país sofreu um colapso devido aos intermináveis combates com a UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola), o que resultou numa reforma econômica promovida pelo MPLA em 1985, aproximando o país à economia de mercado. Em 1990 o MPLA abandona o marxismo-leninismo. A guerra civil terminou em 1991 através de um acordo que levou a promulgação de uma nova constituição.

O sistema político atual é baseado no sistema multipartidário com eleições para presidente e para o parlamento.

O nome oficial de Angola é República de Angola.

A população de Angola é de aproximadamente 10.500.000 habitantes.

A língua nacional é o Português.

A capital do país se chama Luanda e a moeda nacional é o Kwanza Reajustado (KZR).

Notas sobre a História de Luanda - Angola

Segundo dados históricos «LU...» ...«UANDA», o nome que a capital de Angola ostenta, tem origem num instrumento de trabalho das regiões ribeirinhas e do litoral, a rede de pesca, que por sinal é utilizada pelos naturais ou residentes de Luanda, os «Axiluanda».
«Uanda», a palavra mãe, passou a ser usada com a inclusão do L inicial para exprimir rede de pesca, de tipóia... Lançadores de redes ou pescadores «Axiluanda», é assim que passaram a ser chamados os indígenas da Ilha do Cabo. Pois é na Ilha do Cabo que nasceu a cidade de Luanda, precisamente em 1575, quase um século depois de Diogo Cão ter descoberto e assinalado com os seus padrões toda a costa marítima de Angola.
Na Ilha de Luanda desembarcou Paulo Dias de Novais, primeiro governador e capitão-mor das conquistas do então Reino de Angola. Consigo desembarcaram outras 700 pessoas, metade das quais homens armados, padres, comerciantes ou mercadores e alguns servidores, que de seguida estabeleceram o primeiro núcleo de portugueses.
Nessa altura, já a ilha era habitada por muita gente. Um ano depois, ao reconhecer que a ilha não era cómoda para capital da conquista, funda, em terra livre, a vila de S. Paulo de Luanda e logo com a ajuda de gente angolana ergue a antiga igreja de S. Sebastião, no morro de S. Miguel. Em 1605 consolida o poder da conquista, tomando os foros da cidade, já com o governo de Manuel Cerveira Pereira.
A Câmara Municipal, no dizer de cronistas, deve ter tido início ao estabelecer-se a vila em terra firme.
Não há documentos precisos sobre a fundação da Câmara Municipal de S. Paulo de Luanda, mas sabe-se que Paulo Dias de Novais logo criou os cargos e ofícios necessários ao governo da nova colónia.

Angola situa-se na costa do Atlântico Sul da África Ocidental, entre a Namíbia e o Congo. Também faz fronteira com a República Democrática do Congo e a Zâmbia, a oriente.
O país está dividido entre uma faixa costeira árida, que se estende desde a Namíbia até Luanda, um planalto interior húmido, uma savana seca no interior sul e sueste, e floresta tropical no norte e em Cabinda.
O rio Zambeze e vários afluentes do rio Congo têm as suas nascentes em Angola.
A faixa costeira é temperada pela corrente fria de Benguela, o que tem como resultado um clima semelhante ao da costa do Peru ou da Baixa Califórnia.
Existe uma estação das chuvas curta, que vai de Fevereiro a Abril. Os verões são quentes e secos, os invernos são temperados. As terras altas do interior têm um clima suave com uma estação das chuvas de Novembro a Abril, seguida por uma estação seca, mais fria, de Maio a Outubro.
As altitudes variam, em geral, entre os 1 000 e os 2 000 metros.
As regiões do norte e Cabinda têm chuvas ao longo de quase todo o ano.

DADOS GERAIS
Localização - África meridional, nas costas do oceano Atlântico Sul, entre a Namíbia e a República Democrática do Congo
Coordenadas geográficas - 12º 30' S, 18º 30' E
Referências cartográficas - África
Área
total - 1 246 700 km²
terra - 1 246 700 km²
água - 0 km²
Área - comparativa
Comparação com o Brasil: ligeiramente menor que o Pará
Comparação com Cabo Verde: quase 310 vezes maior que Cabo Verde
Comparação com a Guiné-Bissau: quase 35 vezes maior que a Guiné-Bissau
Comparação com Moçambique: vez e meia maior que Moçambique
Comparação com Portugal: 13 vezes e meia maior que Portugal
Comparação com São Tomé e Príncipe: quase 1250 vezes maior que São Tomé e Príncipe
Comparação com Timor-Leste: mais do que 83 vezes maior que Timor-Leste
Fronteiras terrestres
total - 5 198 km
países fronteiriços
República Democrática do Congo - 2 511 km (dos quais 220 km são fronteira com a província de Cabinda)
Namíbia - 1 376 km
Zâmbia - 1 110 km
Congo - 201 km
Costa - 1 600 km
Reivindicações marítimas
zona contígua - 24 milhas náuticas
zona económica exclusiva - 200 milhas náuticas
águas territoriais - 12 milhas náuticas
Clima - semi-árido no sul e ao longo da costa até Luanda; o norte tem uma estação fresca e seca (Maio a Outubro) e uma estação quente e chuvosa (Novembro a Abril)
Terreno - uma planície costeira estreita ergue-se abruptamente até um vasto planalto interior
Extremos de elevação
ponto mais baixo: oceano Atlântico - 0 m
ponto mais elevado: Morro de Moco - 2 620 m
Recursos naturais - petróleo, diamantes, minério de ferro, fosfatos, cobre, feldspato, ouro, bauxite e urânio
Uso da terra
terra arável - 2,41%
cultivo permanente - 0,4%
outros - 97,19% (estimativa de 1999)
Terra irrigada - 750 km² (est. 1998)
Perigos naturais - chuvas locais fortes causam inundações periódicas no planalto
Ambiente - problemas actuais - excessivo uso de pastagens e consequente erosão dos solos, atribuível a pressões populacionais; desertificação; desflorestação de florestas húmidas tropicais em resposta quer da procura internacional por madeiras tropicais, quer do uso doméstico para combustível, resulta em perda de biodiversidade; erosão dos solos contribui para a poluição aquática e para a siltação de rios e barragens; abastecimentos inadequados de água potável
Ambiente - acordos internacionais
é parte de - Biodiversidade, Mudanças Climáticas, Desertificação, Lei do Mar, Protecção da Camada de Ozono, Poluição Provocada por Navios
assinou mas não ratificou nenhum dos acordos seleccionados
Geografia - nota - a província de Cabinda é um enclave, separado do resto do país pela República Democrática do Congo.


PONTOS EXTERNOS
Norte: ponto sem nome na fronteira com a República do Congo (a norte da localidade de Caio Bemba, província de Cabinda)
Norte (sem contar com Cabinda): ponto na fronteira com a República Democrática do Congo a noroeste da localidade de Luvo, província do Zaire
Este: secção de rio na fronteira com a Zâmbia (a norte da localidade de Sapeta na Zâmbia), província do Moxico
Sul: ponto do rio Cunene na fronteira com a Namíbia (imediatamente a norte da localidade de Andara, Caprivi, Namíbia), província do Cuando Cubango
Oeste: ilha da Baía dos Tigres, província do Namibe
Oeste (continental): península a oeste de Tombua (Porto Alexandre), província do Namibe
Maior altitude: Morro de Moco (2.620 m) 12° 28′ S 15° 11′ E
Menor altitude: Oceano Atlântico (0 m).


CIDADES
Segue-se uma lista das cidades de Angola. Ao nome actual de cada cidade junta-se, entre parêntesis, o respectivo nome colonial:
Capital
Luanda (São Paulo da Assunção de Luanda)
Outras cidades principais
Amboim (Porto Amboim)
Bailundo (Vila Teixeira da Silva)
Benguela (São Filipe de Benguela)
Caála (Vila Robert Williams)
Calandula (Duque de Bragança)
Camacupa (Vila General Machado)
Chibia (Vila João de Almeida)
Ganda (Vila Mariano Machado)
Huambo (Nova Lisboa)
Kuito (Silva Porto)
Kuvango (Vila da Ponte)
Lubango (Sá da Bandeira)
Lwena (Vila Luso)
Massango (Forte República)
M'Banza Kongo (São Salvador do Congo)
Menongue (Serpa Pinto)
Namibe (Moçâmedes)
N'Dalatando (Vila Salazar)
N'Giva (Vila Pereira d'Eça)
Saurimo (Vila Henrique de Carvalho)
Soyo (Santo António do Zaire)
Sumbe (Novo Redondo)
Tombua (Porto Alexandre)
Uíje (Carmona)